AGOSTO! A CULTURA POPULAR ESTÁ EM FESTA

27/09/2011 07:29

 

AGOSTO! A CULTURA POPULAR ESTÁ EM FESTA

Como é sabido por todos, o mês de Agosto é  muito especial  no aspecto cultural e religioso de várias regiões do país. Nesse mês é comemorado o FOLCLORE. Um tipo de gênero cultural presente em diferentes estados  transmitidos por várias gerações os seus costumes e tradições. Tradições estas, que por meio de crendices , lendas, contos, canções, religiosidade artesanato,adivinhas etc.. Enriquecem ainda mais o imaginário popular...Quem quando criança, não se encantou e temeu com as histórias da lenda do Saci, da Mula Sem Cabeça e do Lobisomem?

O Brasil é um país  riquíssimo em sua cultura. A diversidade existente em cada região proporciona aos leitores, turistas, e pesquisadores, se encantarem com essa festa popular.

Todavia, na disciplina de Ensino Religioso também podemos explorar toda essa riqueza através das lendas e dos mitos que estão relacionados com o “o mundo dos Espíritos”, o que  caracteriza  o termo  de lendas religiosas. Algumas lendas nos remetem ao imaginário católico, indígena e místicos  que envolvem é claro muitas crendices. No Estado do ES, temos duas excelentes lendas folclóricas de aspecto religioso. A saber , a A lenda do Convento  da Penha e a Pedra  do Frade e a Freira.

Vale a pena conferir!

 

O CONVENTO DA PENHA

 

“...No ano de 1558 chegou aqui o Missionário Espanhol Frei Pedro Palácios que trouxe na sua bagagem um belíssimo painel de Nossa Senhora da Penha, o mesmo que ainda se encontra no Convento da Penha. Procurou abrigo numa caverna no pé da montanha para onde levou seus pertences e também o painel de Nossa Senhora. Quando no dia seguinte acordado pelo gorjeio dos pássaros e o marulhar das ondas do mar que no seu vai e vem levavam e traziam de volta os seus sonhos de missionário depositando-os sob a forma de branca espuma sobre a areia morena, percebeu que o Painel de Nossa Senhora havia desaparecido. Preocupado saiu à procura do mesmo, no que foi ajudado por colonos e depois de longa e dolorosa busca, exauridos, arranhados, machucados, encontraram-no há 154 metros de altitude, bem no cume da montanha entre duas frondosas e verdes palmeiras. ·Levaram-no de volta para a caverna e no dia seguinte, segundo a lenda, lá estava Ela outra vez de volta ao cume da montanha, entre as mesmas duas”. verdes e frondosas palmeiras. Este fato aconteceu por três vezes, até que Frei Pedro Palácios percebendo que Nossa Senhora queria ter uma melhor visão sobre seus filhos para que pudesse protegê-los de todas as vicissitudes e perigos, atendendo a vontade da Santa, construiu a sua capela no lugar escolhido por Ela. Ele próprio, velho e alquebrado, mas homem de muita fé e coragem carregou lá para o píncaro os primeiros materiais para a construção da ermida. Realizado seu grande sonho, a poder de muito trabalho e esforço a capela foi inaugurada com toda a pompa merecida no dia primeiro de maio de 1570. Nesta mesma data, levado por Anjos, aos sons dos sinos da sua pequena capela partiu feliz o velho e santo missionário para sua morada eterna....”

 

http://www.fernandodannemann.recantodasletras.com.br/index.php

http://olhares.uol.com.br/a_lenda_do_frade_e_a_freira_foto3162734.html

 

FRADE E A FREIRA, O Espírito Santo

 

              A pedra do Frade e da Freira é uma formação rochosa com 683 metros de altura, localizada na divisa dos municípios de Cachoeiro de Itapemirim e Rio Novo do Sul, próximo a BR 101, na região sul do estado do Espírito Santo. Ela é composta por montanhas geminadas que aparentemente formam as figuras de duas pessoas colocadas frente a frente como se estivessem conversando ou simplesmente se encarando, mostrando um quadro de tamanha beleza que se tornou motivo de cartões postais levados por turistas e pelos próprios capixabas, como recordação daquela paisagem bucólica e encantadora. Sobre a mesma criou-se uma lenda que vem de tempos antigos, ninguém sabe precisar quando, que nos conta a história de um frade que se apaixonou pela freira que com ele trabalhava na cristianização dos índios da região, e acabou sendo correspondido no amor que tomara de assalto o seu coração. Diz essa narrativa que Deus condoeu-se do sofrimento que martirizava esses seus dois servidores, e decidiu eternizar a paixão que os atraía um ao outro, transformando-os em pedra.

ATIVIDADES DOS ALUNOS NOLABORATÓRIO DE INFORMÁTICA

 


Professora: Adriana Oliveira / Desing: Vinícius Delfino